A escolha do nome teria de valer sobretudo como assinatura, como selo de autenticidade, credibilidade e dedicação total, como nova página que fizesse sentido para mim. Escolhi Reverso pela conjugação de três dos seus significados: «que retornou ao ponto de partida», «que voltou a ser aquilo que era», «o segundo lado, o lado oposto ao lado principal».

Três anos depois de editar diferentes projectos (livros, guias, posters, mapas, ficção e não-ficção, infografia, revistas, vídeo, fotografia) e de apostar em novas ideias (papel, on-line, vídeo ou ao vivo), a Reverso continua a fazer todo o sentido — para mim e, assim espero, para os leitores e para os clientes que confiam nesta linha editorial.

A cada novo desafio, voltamos sempre ao ponto de partida.

João Pombeiro